Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Ação de Estado entrega de mudas para recuperar ambiente de aldeias Mbyá-Guarani

Publicação:

Trabalho envolveu a distribuição de aproximadamente 25 espécies nativas, muitas delas frutíferas escolhidas pelas aldeias
Trabalho envolveu a distribuição de aproximadamente 25 espécies nativas, muitas delas frutíferas escolhidas pelas aldeias

Uma ação transversal entre secretarias de Estado está promovendo a recuperação ambiental de terras indígenas degradadas. As secretarias do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) e do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) distribuíram entrega de aproximadamente 300 mudas de espécies nativas a cinco aldeias Mbyá Guarani do Estado: Pindó Mirim (Viamão), Guajayvi (Charqueadas), Guyra Nhendu (Maquiné), Tavaí (Cristal), Yvy Poty e Guapoy (Barra do Ribeiro). As mudas foram doadas pelos viveiros do Jardim Botânico (FZB), Horto Florestal do Litoral Norte, organização não governamental Ação Nascente Maquiné (Anama) e Embrapa Clima Temperado.

O trabalho envolveu a entrega de aproximadamente 25 espécies nativas, muitas das quais frutíferas escolhidas pelas aldeias de acordo com a disponibilidade apresentada em cada viveiro. Em fase inicial, a iniciativa faz parte de um conjunto de ações desenvolvidos pelo Estado, a partir de compromissos junto ao Conselho Estadual dos Povos Indígenas (Cepi), em apoio à etnosustentabilidade e à gestão da biodiversidade nas aldeias indígenas do Rio Grande do Sul.

Por terem sido anteriormente utilizadas para monocultura de eucaliptos e pecuária, as áreas destinadas para as comunidades indígenas necessitam de recuperação vegetal e adequação à cultura indígena. Isso gera a necessidade de busca por novos mecanismos para garantir que estes povos possam viver de acordo com seu modo de vida. Neste sentido, a construção de alternativas de manejo e uso sustentável das áreas, incluindo o plantio e restauração com espécies nativas, de acordo com a perspectiva e interesse dos povos, pode contribuir para que tenham um ambiente equilibrado e com possibilidades de usufruir de seus recursos com autonomia.

“Este processo terá continuidade. Queremos fazer desta relação com Sema continuada e estável“, explica Inácio Kunkel, técnico da Divisão Indígena da SDR, na qual divide ações com Marcia Londero e James Roth.

Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo